O ARQUITETURAS volta, a partir deste ano, em Junho e com a ficção como novidade. Learning From Fiction é o tema da sexta edição do único festival internacional de cinema em Portugal dedicado às história dos lugares onde vivemos e das pessoas que neles habitam.

ARQUITETURAS returns, starting this year, in June and with fiction as a novelty. Learning From Fiction is the theme of the sixth edition of the only international film festival in Portugal dedicated to stories of our build environment and the people who live in it.

Arquitetura é sempre criar ficção. Mas o que é que acontece quando a ficção entra em conflito com a realidade? Não só o cinema mas também a arquitetura tem um linha ténue que separa a ficção da ‘realidade’. Será que a criatividade sofre se a arquitetura escolhe ser mais sensível a aspectos sociais? Isso é relevante? Os filmes que selecionámos têm por objectivo contribuir e gerar alguma reflexão sobre estas questões. Em última instância, a arquitetura, ao criar ficção define a nossa realidade. É uma competência poderosa que deve ser usada com peso e medida.

Architecture is always about creating fiction. But what happens when fiction clashes with reality? Not only film but also architecture has a fine line between fiction and “reality”. Is creativity at stake if architecture chooses to engage more with “reality” than with fiction? Up to what extent should architecture engage socially? Is that relevant? The films we have selected aim to contribute to generating some reflection about these questions. Ultimately, architecture by creating fiction defines our reality. It is a powerful skill that should be used wisely.

WARM UP 1 Junho 21h 1st June 9 pm

ANTE-ESTREIA COLUMBUS Pre-Premiere Columbus

 

 

Em parceria com a Alambique Filmes e com o apoio do Atelier 18:25. Apresentacão da arquiteta e curadora Susana ventura. Um filme realizado por Kogonada.

In partnership with Alambique Films and Atelier 18:25. Presentation by architect and curator Susana Ventura. A film by Kagonada.

Casey vive com a mãe numa pequena cidade desconhecida do Midwest cativada pela promessa do modernismo, onde se podem encontrar edificios desenhados por Saarinen, I.M.Pei, Richard Meier, entre outros. Jin, um visitante do outro lado do mundo, vem assistir ao seu pai moribundo. Inquietos com o futuro, eles encontram alívio um no outro e na arquitectura que os rodeia.

Casey lives with her mother in a small, unfamiliar town in the Midwest, captivated by the promise of modernism, where buildings designed by Saarinen, I.M.Pei, Richard Meier, and others, can be found. Jin, a visitor from the other side of the world, comes to watch his dying father. Uneasy about the future, they find relief in each other and in the architecture that surrounds them.

TRAILER

 

FILME DE ABERTURA 6 JUNHO 20h Opening film 6th June 8 pm

“BEFORE MY FEEET TOUCH THE GROUND”

 

 

O filme de estreia Before My Feet Touch the Ground (2017) em estreia portuguesa é um documentário em formato híbrido, contra a gentrificação e aumento dos preços das casas em Televiv, contado por Daphi Leef na primeira pessoa, simultaneamente líder do movimento em Israel, personagem principal e realizadora do filme.É um filme de protesto contra um fenómeno pelo qual muitas cidades estão a passar um pouco por todo o mundo e, por isso, relevante.

A realizadora irá estar presente com o apoio da Embaixada de Israel em Lisboa.

The opening film Before My Feet Touch the Ground (2017) is a good example of a hybrid format. It is a documentary against gentrification and the rise of house-prices in Tel Aviv, told by Daphni Leef, simultaneously leader of the movement in Israel, the main character, and director of the film. It is a protest film about a phenomenon that many cities are experiencing all over the world and therefore, a relevant one.

The director will be present with the support of the Israeli Embassy in Lisbon.

TRAILER

 

CHILE PAIS CONVIDADO Chile is the invited country

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na sua 6ªa edição, o Arquiteturas Film Festival, tem o privilégio de anunciar que o Chile é o nosso país convidado. Com o apoio da Embaixada do Chile em Lisboa e com o objectivo de promover o intercâmbio do que está acontecer no campo da arquitetura e do cinema, vamos contar com a presença de Alfredo Jaar (artista, arquitecto e realizador), Paula Rodríguez Sickert (realizadora do filme Jaar, Lament of the Images, em competição na categoria de documentário), Manuel Toledo (coorganizador do ArqFilmFest, desde 2012, o primeiro festival de arquitetura do Chile e da América Latina). E também dos realizadores Kate Kliwadenko, do Chile, e Mario Novas, de Espanha, do filme Do More With Less, que faz também parte da competição na categoria de documentário.

Paula Rodríguez Sickert, Alfredo Jaar e Manuel Toledo estarão presentes durante a exibição de Jaar, Lament of the Images. Alfredo Jaar vai apresentar uma conferência no MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia) para nos falar do seu trabalho, estando disponível para responder a questões.

Arquiteturas Film Festival has the privilege to announce that this year’s invited country is Chile. With the support of the Embassy of Chile in Lisbon, Portugal, aiming to promote what is taking place in the country in the realm of film and architecture, we will have as guests Alfredo Jaar (artist, architect and filmmaker), Paula Rodríguez Sickert (director of the film Jaar, Lament of the Images being screened at AFF and competing for best documentary) and Manuel Toledo (co-organizer of ArqFilmFest, since 2012, the first architecture film festival of Chile and Latin America). Also, Chilean filmmaker Kate Kliwadenko and Mario Novas, from Spain, directors of the film being exhibited this year Do More With Less, also in competition for best documentary film.

Paula Rodríguez Sickert, Alfredo Jaar and Manuel Toledo will be present during the screening of Jaar, Lament of the Images (8th APR/ Friday, Fórum Lisboa, 22h). Alfredo Jaar will lecture a conference at MAAT (Museum of Art, Architecture and Technology) in order to talk about his work and will be available to answer any questions.

 

MAIS SOBRE O PROGRAMA More about the program

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este ano, exibimos as biografias de Tadao Ando, Francis Kéré e Alfredo Jaar (que irá apresentar uma conferência no MAAT); filmes sobre a experiência do espaço urbano (Istambul Echos, Tudo o Que Imagino, Na Bolha, Greater Things); sobre a experiência de ser um refugiado antes (Red Trees) e agora (Exodus); sobre arquitetura moderna (Experimental City, A Spa. Architecture of Zawodzie and The Body and the Modernist City); sobre a bolha de especulação imobiliária na China (Dream Empire); sobre a experiência coletiva de design urbano (Do More With Less, Die Laube); sobre a influência dos jogos de vídeo no planeamento urbano (Gaming the Real World) e; sobre o problema de escala na arquitetura (Pop Aye). As curtas exibidas, valendo por si próprias, operam como aperitivo ou intermezzo.

A fechar a edição deste ano, mostramos Moriyama-San (2017) realizado por Ila Bêka e Louise Lemoine sobre Yasuo Moriyama, o “ermita urbano” que vive numa casa construída por Ryue Nishizawa — um dos dois fundadores do atelier japonês SANAA vencedor de um Pritzker. O filme é um óptimo exemplo do mote desta edição mostrando Moriyama que cria a sua própria ficção no espaço que Nishizawa criou – uma ficção arquitectónica – através do filme. Três narrativas entretecidas. É difícil decidir se estamos a ver uma ficção ou um documentário, mas contrariamente ao que aconteceu durante o século XX, hoje em dia, não temos de decidir. Podemos simplesmente disfrutar e é isso que esperamos que façam!

This year, we will exhibit biographies on architects Tadao Ando, Francis Kéré and Alfredo Jaar (who will be presenting a conference); films on the experience of urban lived space (Istanbul Echos, All I Imagine, In the Bubble, Greater Things); on the experience of being a refugee then (Red Trees) and now (Exodus); on modern architecture (Experimental City, A Spa. Architecture of Zawodzie and The Body and the Modernist City); on the market house bubble in China (Dream Empire); on the collective experience of urban design (Do More With Less, Die Laube); on the influence of video games on urban planning (Gaming the Real World) and; on the problem of scale in architecture (Pop Aye). The short films being exhibited both stands on their own and perform as an appetizer or an intermezzo.

Closing this year’s edition, we exhibit Moriyama San (2017) directed by Ila Bêka and Louise Lemoine about Yasuo Moriyama, the “urban hermit” who lives inside a house built by Ryue Nishizawa – one of the two founders of Pritzker Prize-winning Japanese architecture studio SANAA back in 2005. The film fully embodies this edition’s motto by showing us Moriyama creating his own fiction within the space that Nishizawa created – an architectural fiction – through the film. Three narratives intertwined. At the end of the day, it is hard to decide whether we are watching a fiction or a documentary, but contrary to what happened during most of the 20th century, nowadays, we do not have to decide. We can just enjoy and that is what we hope you do! 

www.arquiteturasfilmfestival.com

 

Patrocinio/Sponsor